A Anime News Network realizou no mês passado uma entrevista com Gen Urobuchi, escritor do roteiro de Fate/Zero, que está em exibição nesta temporada de outono no Japão (e também nos sites Nicovideo.jp e Crunchyroll). Gen Urobuchi é conhecido também por seu trabalho no roteiro de Puella Magi Madoka Magica, outro grande sucesso na carreira do escritor.
 O portal Notícias Anime United, traz, enfim, essa entrevista para os nossos leitores.

fatezero2 208x300 Entrevista com Gen Urobouchi   Roterista de Fate/Zero

ANN: Quanto controle você teve sobre as personagens que participaram na 4° Guerra do Santo Graal? Você se reuniu com Kinoko Nasu e discutiu como eles seriam acrescentados ao “Nasuverso” ou você teve liberdade de criar quaisquer personagens que não foram criados previamente?
Gen Urobuchi: O processo foi a elaboração de uma proposta para os novos personagens e o novo enredo, eu mostrei ao Nasu-san para sua supervisão. Porém, constantemente, 90% das propostas foram aceitas, já que eram ideias do próprio Nasu. Quanto aos nomes dos personagens, Hisau Maiya foi o único que eu sugeri. Os outros personagens foram todos nomeados pelo Nasu-san.

Na visual novel de Fate/Stay Night, as menções de Saber sugeriam que ele só falou três vezes com Emiya Kiritsugu durante a 4° Guerra do Santo Graal. Foi difícil escrever uma história em que os dois personagens principais podem se falar diretamente apenas 3 vezes?
A fim de respeitar a história original, a personagem Irisviel foi introduzida. Saber fala apenas com Irisviel, Kiritsugu fala apenas com Irisviel, também. Então, no final, Irisviel atual como facilitadora da comunicação entre os dois, que não falam um com o outro.

Com que frequência você sentiu que tinha que mudar elementos além da história em sua mente, para encaixá-la com a história de Fate/Stay Night? Havia algum elemento do enredo que teve que ser totalmente redesenhado para se encaixar na linha temporal de modo geral? Você sentiu que teria que retroceder alguma coisa de Fate/Stay Night para encaixar na sua história?
Como resultado das discussões entre Takeuchi-san (o designer das personagens) e eu mesmo, o momento auge de Kirei Kotomine foi revisto para Fate/Zero. Também tivemos que ajustar a relação entre Saber e Kiritsugu, para que não fosse tão ruim. Nós tínhamos medo que se Saber aumentasse excessivamente suas discussões com Kiritsugu ela não abriria seu coração para Shiro facilmente, que é o filho adotivo de Kiritsugu.

Uma vez que todos os servos são de mitologias estrangeiras, quantas pesquisas foram necessárias para fazer Fate/Zero? Quantas pesquisas vocês fizeram sobre o sistema de magias estrangeiro? Há alguma outra mitologia que você gostaria de ter incluído em Fate/Zero?
Nossa política básica foi usar as definições da mitologia atual apenas como fundamento para ideias; preferencialmente, ao colocar ênfase em como nós podíamos usar nossa própria imaginação a partir desses fundamentos. Quanto ao sistema de magias, nós seguimos o sistema utilizado no mundo criado por Nasu-san em vez de usar o do ocultismo real.

Tanto Takashi Takeuchi quanto Kinoko Nasu já jogaram jogos de mesa (como Dugeons and Dragons ou Record of Lodoss War) em sua juventude, tendo a influência desses jogos explícita em seus trabalhos. Você já jogou esse tipo de jogo? Você faz outros tipos de jogos, especialmente considerando que você trabalha para a empresa de visual novel Nitroplus?

Call of Cthulhu é o RPG de mesa mais profundamente memorável para mim. Você poderia dizer que o meu roteiro do jogo Saya no Uta foi especialmente influenciado por Call of Cthulhu.

fatezero1 300x240 Entrevista com Gen Urobouchi   Roterista de Fate/Zero

Você disse uma vez que sentia que Fate/Zero havia lhe levado para um período difícil como escritor e que teve dificuldade escrevendo os finais para suas histórias. Como você se sentiu mudado como autor? Você está mais confiante ao escrever finais agora?
Eu costumava ficar preso no estereótipo de que a única verdadeira criatividade era algo que vinha expressar meus próprios sentimentos. Eu estava inserido numa crença forte de que seria insincero para eu “adaptar” a história, contando uma da qual eu não havia criado. No entanto, ao longo do meu trabalho em Fate/Zero, eu reafirmei o prazer de simplesmente escrever. Desde então, eu tenho conseguido me concentrar na escrita de uma história como mero entretenimento, sem colocar muita pressão em cima de mim mesmo.


Há alguma cena da novel que você mal podia esperar para ser animada? Há alguma cena que você acha que não ficará tão bem nesta mídia?
Eu acredito que esse anime terá 14 episódios. As grandes batalhas serão as cenas mais difíceis de serem animadas. Mas, eu espero que essas fiquem espetaculares aos olhos. Serão as cenas das batalhas mais esplêndidas da história. Não posso esperar para vê-las.
 
Quais são as partes ou elementos que os fãs de Fate/Stay Night devem estar esperando mais nessa série?

Como Kirei Kotomine cresceu durante esses 10 anos é um dos temas da série. É um dos temas da história; Kirei, que lutou com sinceridade nesses conflitos, se tornar o último chefe em Fate/Stay Night.

Quais são suas impressões sobre Takashi Takeuchi e Kinoko Nasu?

Eu tenho muita inveja da confiança mútua que eles construíram com sua amizade de muitos anos, como uma pessoa no mesmo negócio que eles. Eu realmente sou colega de trabalho deles e continuaremos produzindo bons trabalhos.

O texto original pode ser visto no site da Anime News Network, somente em inglês.  Para saber mais sobre Fate/Zero leia a nossa preview do anime, e escute o podcast do Unitedcast com previews da temporada de outono 2011.

Reações: 

0 Responses so far.

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...